Sínodo a serviço da missão e da comunhão da Igreja como expressão da colegialidade

O Santo Padre recebeu em audiência os membros do XIII Conselho Ordinário da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) | 434 visitas

Na manhã de hoje, o Santo Padre recebeu em audiência os membros do XIII Conselho Ordinário da Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos, reunidos em Roma para escolher com o papa o tema da próxima Assembléia Geral Ordinária.

A XIII Assembleia Geral do Sínodo, realizada em outubro passado, no Vaticano, teve como tema "A nova evangelização para a transmissão da fé cristã".

"Existe uma estreita ligação entre esses dois elementos”, disse o papa. “A transmissão da fé cristã é o objetivo da nova evangelização e de todo o trabalho de evangelização da Igreja, que existe precisamente para isto. O termo 'nova evangelização' destaca a consciência cada vez mais clara de que, mesmo em países de antiga tradição cristã, é necessário um renovado anúncio do Evangelho para promover um encontro com Cristo que realmente transforme a vida e não seja superficial, marcado pela rotina. E isto tem consequências para a atividade pastoral".

O papa Francisco citou as palavras do Servo de Deus Paulo VI em seu discurso ao colégio cardinalício em 1973: “As condições da sociedade nos obrigam a rever os métodos, a procurar por todos os meios estudar a forma de levar ao homem moderno a mensagem cristã, na qual ele pode encontrar a resposta para as suas perguntas e a energia para o seu compromisso de solidariedade humana”. E acrescentou: “Eu gostaria de incentivar a comunidade eclesial inteira a ser evangelizadora, a não ter medo de sair às ruas para anunciar, confiando principalmente na presença misericordiosa de Deus, que nos guia. As técnicas são importantes, mas nem as mais avançadas delas poderiam substituir a ação discreta e muito eficaz daquele que é o principal agente da evangelização: o Espírito Santo. Precisamos ser conduzidos por ele, mesmo que seja por estradas novas; precisamos ser transformados por Ele, para que o nosso anúncio seja feito com a palavra sempre acompanhada pela simplicidade de vida, pelo espírito de oração, pela caridade para com todos, especialmente para com os pequenos e pobres, pela humildade e pelo desprendimento, pela santidade de vida".

O Sínodo dos Bispos "foi um dos frutos do concílio Vaticano II" e, "graças a Deus, nestes quase cinquenta anos, pudemos experimentar os benefícios desta instituição, que, de modo permanente, se coloca a serviço da missão e da comunhão da Igreja, como expressão da colegialidade. (...) Abertos à graça do Espírito Santo, alma da Igreja, temos a confiança de que o Sínodo dos Bispos viverá novos desenvolvimentos que vão incentivar ainda mais o diálogo e a colaboração dos bispos entre si e entre eles e o bispo de Roma".