Skype e "best practice": exemplos para uso pastoral

Criatividade a serviço da evangelização

Roma, (Zenit.org) Jorge Henrique Mújica | 677 visitas

Ele se chama Eric Whitacre e em 2010, alcançou um feito até agora jamais realizado: reunir um coro de 185 cantores de 12 países diferentes. Narrando assim, não tem muita novidade. A façanha foi a de que o coro era virtual e o meio utilizado foi o Skype. Os mais de 3.000 vídeos que estão no Youtube marcam a proeza que, em 2012, conseguiu reunir, desde seus próprios computadores, 3746 cantores originários de mais de 70 países. Um dos mais recentes desafios foi um concerto ao vivo pela web (http://www.ted.com/talks/eric_whitacre_virtual_choir_live.html )

As possibilidades oferecidas pelas diferentes plataformas nas redes sociais estão abertas ao talento de quem deseja aproveitá-las com suas próprias idéias. O caso de Eric é emblemático, mas no âmbito católico também surgem algumas iniciativas que conseguem explorar o Skype a partir de uma perspectiva pastoral.

"Here2Pray International» (http://here2pray.com/ ) nasceu em maio de 2011, no México. É uma comunidade de jovens que rezam o Rosário diariamente usando o Skype (sistema gratuito de conferência). Todos os dias, às 22:00 horas (horário do México), dezenas de jovens de diferentes países se conectam para rezar aproveitando esta ferramenta. A recitação do Rosário é seguida de uma reflexão evangélica com uma breve pregação e termina com duas canções de adoração ao Senhor.

Se o fiel não pode ir ao pregador, por que não trazê-lo por meio do Skype?

Foi também em 2011 que um leigo australiano, ao constatar o vazio de formação em torno da pastoral destinada a jovens adultos, se deu o trabalho de levar até a Austrália sacerdotes que poderiam satisfazer essa necessidade. Mas convidar um orador para viajar de um país ao outro, inclusive para a Austrália, implicaria muito trabalho e investimento financeiro. Foi então que pensou: por que não trazer o público para ouvir o pregador? E assim nasceram as sessões de formação via Skype, uma mistura de talentos on-line, como definido pelo próprio Andrew Devereux.

"O evento começa com uma oração e quando os convidados estão sentados só percebem uma vela reluzindo em uma pequena imagem da Virgem de Guadalupe, e é quando o orador, por sua vez, chama pelo Skype e faz sua aparição na tela", explica Andrew. Depois disso, os hóspedes podem desfrutar de uma pizza caseira feita por Angela, esposa de Andrew, e uma garrafa de vinho tinto, para facilitar a "discussão do tema", diz Andrew.

Em março de 2012 começaram algumas sessões regulares de formação oferecidas por sacerdotes que trabalham na Polônia, Irlanda e Estados Unidos. E, embora não seja uma bilocação, os esforços através do Skype proporcionam a formação de jovens casais australianos. Certamente a fé e a espiritualidade são temas importantes nessas reuniões, mas não são únicos. Os convidados são palestrantes de diferentes realidades culturais para que o público se motive a usar seus talentos para a arte e a cultura, bem como para o crescimento espiritual e para fomentar a evangelização.

"Poderíamos dizer que é uma reminiscência das primeiras comunidades cristãs", diz Andrew. "E, ainda que são Pedro e são Paulo não tenham utilizado a tecnologia que temos hoje, é possível recriar a mesma intimidade para maximizar os efeitos que o Espírito Santo quer fazer através de nós, os seus instrumentos”.

Na Mensagem para o Dia Mundial para as Comunicações Sociais 2013 Bento XVI recordou que “Na realidade, muitas pessoas estão a descobrir – graças precisamente a um contacto inicial feito on line –a importância do encontro directo, de experiências de comunidade ou mesmo de peregrinação, que são elementos sempre importantes no caminho da fé.  Como se pode notar, com um pouco de criatividade, Skype também oferece possibilidades.