Só quem ama conhece

A técnica sem o amor e o respeito à vida torna-se desumana

| 810 visitas

Por Antonio Gaspari

ROMA, terça-feira, 11 dezembro de 2012 (ZENIT.org) - "Só quem ama conhece”, por este motivo “ninguém como as mães para terem um conhecimento verdadeiro e autêntico dos próprios filhos”. Assim Roberto Colombo, diretor do Centro de Estudo de doenças hereditárias e raras de Milão, durante a manifestação para a entrega do prêmio europeu pela Vida às mães da Europa, que aconteceu ontem no Capitólio em Roma, explicou “porque o feto é um de nós”.

De acordo com o prof. Colombo é evidente que o nascituro é o início da vida de todo homem e de toda mulher, assim como cada um de nós já foi um nascituro, mas a lógica tão óbvia parece não ser suficiente para a cultura do mundo moderno.

Disse o prof. Colombo que quando era ainda jovem estudante perguntou ao prof. Jérôme Lejeune o motivo de estudar para se tornar um geneticista, e o eminente professor respondeu “é o trabalho mais bonito do mundo porque permite conhecer, amar e servir a vida humana”. Conhecer, amar e servir a vida, um programa que está levando Lejeune aos altares.

O verdadeiro progresso da ciência, acrescentou o prof. Pino Noia, ginecologista e vice-presidente da Quercia Millenaria, é o de passar de uma informação genética a um sábio conhecimento. O prof. Noia explicou os imensos progressos da ciência e da técnica pré-natal, revelou dados e explicou práticas que estão salvando a vida de milhares de crianças. Demonstrou que com amor e sabedoria é possível salvar milhares de vidas humanas, mas também salientou como a cultura da separação está multiplicando as vítimas, com milhões de abortos voluntários, crianças de proveta e tentações selvagens de produzir em laboratório meninos e meninas eliminando funções e o amor dos pais.

Noia observou que “não temos medo da ciência mas temos medo de como ela é usada” e neste contexto explicou o seu envolvimento com La Quercia Millenaria, da qual é o vice-presidente. A Quercia Millenaria é a única associação na Itália que propõe a assistência à gravidez com todo tipo de deformações fetais, propondo a cura no útero onde é possível, ou também o acompanhamento da criança considerada “incompatível com a vida”. É reconhecido internacionalmente como o único Hospital Pré-natal italiano, e desenvolve um serviço regular voluntário de cuidados Pré-natal dentro do Gemelli.

“Nós acreditamos – concluiu Noia – que o seu filho não é um acidente. Acreditamos, porque o vivemos isso na nossa pele, que vocês são escolhidos como pais de uma criatura muito especial. Nos esforçamos para não deixar você sozinho...”

(Trad. TS)