Trabalhadores desempregados almoçam com Bento XVI

Visita pastoral ao porto de Ancona

| 741 visitas

ANCONA, segunda-feira, 12 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – Dezesseis pessoas, trabalhadoras de estaleiros de Ancona e de empresas da região de Las Marcas, que se encontram atualmente sem trabalho ou assistidas pela Cáritas, almoçaram ontem com Bento XVI e com os bispos italianos.

O Papa passou dez intensas horas em Ancona, por ocasião da conclusão do 25º Congresso Eucarístico Nacional Italiano. Em 2005, ele também encerrou o congresso eucarístico em Bari, e igualmente no Adriático: foi, como recordou em sua homilia, sua primeira viagem apostólica.

Neste momento de crise econômica e social, o Pontífice realizou este gesto significativo em sintonia com seu ensinamento sobre a caridade como estímulo da economia. O encontro aconteceu às 13h30, no centro pastoral de Colle Ameno.

Bento XVI saiu do Vaticano de helicóptero às 8h30, para chegar, 45 minutos mais tarde, ao Cais Wojtyla, do porto de Ancona.

A Missa foi celebrada na esplanada do cais, na frente do horizonte do mar Adriático, em presença de 100 mil pessoas. O tablado, como um imenso veleiro impulsionado pelo sopro do Espírito – representado por uma pomba sobre o altar –, as flores e os objetos sagrados, azuis e brancos, refletiam estas cores do céu, do mar e de Nossa Senhora, sob um intenso sol cujo calor era atenuado pela brisa.

O Papa foi acolhido pelo presidente da Conferência Episcopal Italiana, cardeal Angelo Bagnasco, arcebispo de Gênova.

A liturgia esteve marcada pelo recolhimento solicitado no início da Missa: não houve cartazes nem aplausos, nem barulhos de celulares, para dar espaço à força da celebração: “Dai-nos, Senhor, o pão do céu” era a súplica da antífona do salmo, como eco do relato do dom do maná ao povo de Israel no deserto.

Às 16h30, o Papa se encontrou com os organizadores da visita pastoral e depois, às 17h, com famílias e sacerdotes, na catedral de São Ciríaco. Outro momento especial reuniu os casais de namorados com o Santo Padre, às 18h, na Praça do Plebiscito.

Às 18h45, o Pontífice partiu do Cais Wojtyla rumo ao Vaticano, chegando 45 minutos depois ao seu destino.

“Senhor, a quem iremos?”: a pergunta do apóstolo Pedro a Cristo, na sinagoga de Cafarnaum, como narra o Evangelho de João, foi o tema desta semana e o Evangelho da celebração. O congresso foi realizado simultaneamente nas diversas dioceses italianas.

Esta foi a 24ª viagem de Bento XVI dentro da Itália desde sua eleição, em abril de 2005, e sua 2ª visita à região central de Las Marcas, após sua visita ao santuário da Casa da Virgem Maria em Loreto, em setembro de 2007.

A tradição da visita pastoral do Papa por ocasião do dia de encerramento do Congresso Eucarístico Nacional Italiano foi inaugurada por Paulo VI em 1977.