Tragédia das chuvas: bispos rezam em Aparecida

Prelados de Petrópolis e Nova Friburgo presidem à Missa junto aos romeiro

| 968 visitas

APARECIDA, quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – O Santuário de Aparecida acolhe neste domingo, dia 23, o bispo de Petrópolis, Dom Filippo Santoro, e o bispo de Nova Friburgo, Dom Edney Gouvêa Mattoso, que vêm rezar juntos aos romeiros pelas vítimas das chuvas na região serrana do Rio de Janeiro.

Os bispos presidirão à celebração das 8h, no Altar Central da Basílica de Aparecida, segundo informa a assessoria de imprensa do Santuário.

Durante a celebração, os bispos farão um apelo à população para que ajude as famílias atingidas pelas fortes chuvas e deslizamentos de terra que causaram mais de 700 mortes e deixaram mais de 10 mil desalojados e desabrigados.

Dom Filippo ressaltou que celebrar no Santuário Nacional é sinônimo de pedir a Maria que vigie seus filhos que passam por necessidade, por aqueles que estão feridos ou perderam tudo, e força para quem precisa recomeçar.

“É necessário pedir a intercessão da Mãe. Precisamos das nossas forças e da ajuda que vem do alto pela intercessão de Maria”, afirmou. Ele disse que pede a Nossa Senhora Aparecida que dê força aos religiosos para sustentar a fé do povo neste momento.

De acordo com o bispo, a situação das cidades da região serrana é diferenciada. “Teresópolis apresenta vários focos de destruição. O que mais impressiona é ver as casas arrasadas, as comunidades destruídas. Petrópolis apresenta outra realidade, com focos muito graves de desastres”, disse ao Portal A12.

Já Dom Edney afirmou que ainda não é possível calcular a dimensão exata de toda a devastação que ocorreu no município de Nova Friburgo.

“Aos poucos e à medida que a comunicação vai sendo restabelecida nós vamos tomando conhecimento das áreas atingidas, porque existem comunidades inteiras ilhadas, seja pela via de comunicação ou pelo acesso terrestre”, disse.

Segundo o bispo, a Igreja está trabalhando em duas frentes: primeiro com a administração das doações que chegam. Depois, com a assistência de socorro espiritual às pessoas que perderam parentes e suas casas.

“Nós procuramos mostrar para estas pessoas que na nossa vida tudo pode desabar, mas o que não pode desmoronar é a nossa fé”, disse Dom Edney.

Em todo o país e também em outras partes do mundo a Igreja Católica está mobilizada para ajudar a região serrana do Rio de Janeiro. No Brasil, as campanhas são coordenadas pela Cáritas e a CNBB.