Três jornadas de estudo da encíclica Pacem in terris

Organização do evento é do Pontifício Conselho Justiça e Paz

Cidade do Vaticano, (Zenit.org) | 433 visitas

Celebra-se este ano o 50º aniversário da encíclica Pacem in terris, do beato João XXIII, e, para a ocasião, o Conselho Pontifício Justiça e Paz organizou três jornadas que “não pretendem ser uma simples comemoração do documento”. O que se pretende entre os dias 2 e 4 de outubro é promover uma reflexão sobre a atualidade e sobre a atualização de conteúdos da encíclica, com referência à res novae.

O cardeal Turkson, durante a apresentação do evento aos jornalistas, afirmou que o objetivo é "verificar a aplicação prática dos seus ensinamentos fundamentais no âmbito dos direitos humanos, do bem comum, do bem comum global e da política, campos em que entra em jogo a convivência pacífica entre os povos e entre as nações".

O purpurado explicou também que, durante a reflexão nessas três jornadas, convergirão vários pontos particularmente significativos. Em primeiro lugar, a questão das instituições políticas e das políticas globais, "indispensáveis para encararmos as questões globais". Esse tipo de problemática exige a consideração de reforma da maior instituição global: a Organização das Nações Unidas.

Em segundo lugar, as novas fronteiras da paz. "A atualização dos conteúdos da Pacem in terris, em referência à res novae, nasce da observação de que a partida é jogada hoje em campos notavelmente diferentes de cinquenta anos atrás, época em que o conflito, não apenas latente, se encarnava essencialmente na contraposição dos dois blocos envolvidos na guerra fria", explicou o cardeal.

O último ponto será o aspecto educativo, "particularmente presente no coração da Igreja e que tem, entre as suas missões principais, a formação das consciências". Cerca de 60 reitores e docentes, representando muitas universidades pontificas e católicas dos cinco continentes, se encontrarão nas jornadas para aprofundar uma das questões cruciais: "a formação de novas gerações de católicos comprometidos na política".

O encontro será encerrado em uma audiência com o papa Francisco, que falará do mesmo tema das jornadas de estudo, informou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.