Turismo só de consumo deixa as pessoas vazias

Dom Frassia fala no Encontro da Pastoral do Turismo na Argentina

| 838 visitas

CARLOS PAZ, sexta-feira, 24 de junho de 2011 (ZENIT.org) - Na cidade de Carlos Paz (Córdoba, Argentina), de 15 a 17 de junho, foi realizado o Encontro Nacional da Pastoral do Turismo, com o tema “A família no turismo”.

Com a presença do bispo de Avellaneda-Lanús, Dom Ruben Frassia, presidente da Comissão Episcopal de Migrações e Turismo, participaram delegados diocesanos, agentes de pastoral do turismo e pessoas do turismo interessadas pelo caminhar da Igreja nesta realidade, informou a ZENIT Dom Frassia.

Neste ano da família e neste contexto, a família não somente constitui um valor da comunidade cristã, mas sim uma urgente necessidade para o bem-estar do indivíduo e de toda a sociedade.

Nas boas-vindas, Dom Frassia transmitiu a saudação dos demais bispos da comissão episcopal e recordou que é muito importante manter e sustentar os vínculos familiares.

Hoje, disse, “estamos muito informados, mas pouco comunicados. A família, que tem uma importância indiscutível, nos dá pertença, relação, referência e nos integra. O turismo não pode ter uma apresentação híbrida ou indiferente; ele apresenta valores ou antivalores. Um turismo que se orienta somente ao consumo deixa, no final das contas, as pessoas vazias”.

A partir da Pastoral do Turismo, disse o prelado, é preciso “propor valores que sejam alcançáveis e realizáveis, com uma permanente atitude de diálogo com todas as realidades dentro e fora da Igreja, com o público e o privado, em que, neste diálogo, vamos convidando e propondo qualidade de vida”.

Os assistentes compartilharam ideias com jovens estudantes do colégio paroquialRemedios Escala de San Martín, de Carlos Paz, que tem a orientação em turismo. Entre outras coisas, foi dito que se apresentam dificuldades para realizar o turismo em família, pelos custos, e também quando os filhos são adolescentes, pelos interesses diferentes.

Ao iniciar uma viagem de turismo em família, é necessário ter informação sobre lugares e serviços que satisfaçam os interesses de todos, pois as férias devem ser um tempo para compartilhar e conviver, para o diálogo, para encontrar-se e fomentar vínculos.

É preciso gerar ambientes adequados para satisfazer todos os membros da família e recolher informação em um diretório.

“Convidamos todos os agentes da evangelização no turismo e todas as famílias do nosso país a que retomemos o desígnio de Deus e aprofundemos nesta proposta do turismo em família, para que, a partir daí, reconfiguremos o entramado das relações familiares, sua identidade e sua missão na Igreja e no mundo”, convidou.

“Que seja à luz da Palavra de Deus que nos comprometamos com a instituição matrimonial e familiar, para que ofereça o melhor de si à construção de uma nova sociedade. Se salvarmos nossas famílias, estaremos redimindo nossa sociedade no presente e preparando convenientemente o futuro”, concluiu Dom Frassia.