Um ano atípico e a família no centro dos debates sócio-eclesiais

3ª Assembleia extraordinária do Sínodo dos bispos

Brasília, (Zenit.org) Pe. Rafael Fornasier | 485 visitas

Além de estarmos num ano bissexto, é ano de Copa do Mundo, de Eleições presidenciais e, a nível eclesial, de envolvimento na preparação, no caminho e no acompanhamento da 3ª Assembleia extraordinária do Sínodo dos bispos! É preciso fôlego e dedicação para não perder nenhum “lance” da vida sócio-política e familiar, pois os desafios estão em toda parte! Por um lado os resultados devem ser imediatos e satisfatórios, pois em jogo estão, para os vencedores, um campeonato mundial e os cargos de representantes políticos do povo. Por outro, estes resultados não são, ou não deveriam, ser pautados pela ânsia do êxito, pela pressa em tirar conclusões baseadas talvez mais na “casuística”, como afirmou o Papa aos cardeais no consistório extraordinário sobre a família, do que no aprofundamento que gera uma “pastoral inteligente, corajosa e cheia de amor” (Papa Francisco, 20 de fevereiro de 2014).

Embora haja uma avalanche de “torcedores” e “juízes” que já queiram determinar o resultado do “jogo” ou o seu desenrolar, reza o ditado popular que “o jogo só acaba com o apito final”! Se isso é verdade para a Copa do Mundo e para as próximas Eleições, quanto mais em relação à reflexão que a Igreja faz sobre a família e a autocompreensão desta no contexto da atualidade. Não se está diante do “ganhar ou perder” ou do “vai ou racha”, mas da capacidade de adaptação da família, que, através de um processo gradual, segundo a pedagogia divina, colhe do novo e do velho e continua avançando como a forma privada e pública mais adequada de realização da pessoa e da sociedade. Mesmo o debatido discurso do Cardeal Walter Kasper, durante o consistório, aponta nesta direção.

A Comissão para a Vida e a Família da CNBB, através da Comissão Nacional da Pastoral Familiar, participou do processo de consulta iniciado pelo envio do questionário de preparação do Sínodo às Igrejas particulares, fomentando a contribuição de todos comprometidos com a causa da família em suas diversas situações. Durante este ano e no próximo, o trabalho destas Comissões será orientado a suscitar o empenho de todos no caminho de preparação para o Sínodo, e para o esforço de se colher os frutos da dedicação em desenvolver uma pastoral familiar reconhecida como necessária para a vida da Igreja, em buscar respostas aos mais diversos desafios que se apresentam às famílias na atualidade, e a estar em comunhão com os trabalhos e as conclusões da Igreja universal.

Portanto, os projetos desenvolvidos por estas comissões estarão em grande sintonia com o momento eclesial e social da atualidade. Em particular, destacam-se a Semana Nacional da Família, que já começa a ser preparada por nossas comunidades, com o auxílio do subsídio Hora da Vida[1], cujo tema é “A espiritualidade cristã na família: um casamento que dá certo”, o 4º Simpósio e 6ª Peregrinação das Famílias a Aparecida, com o tema “Família: caminhar com a luz e a sabedoria do Evangelho” e XIV Congresso Nacional da Pastoral Familiar, em São Luís-MA. Deseja-se, assim, para citar mais uma vez o Papa Francisco, pôr “em evidência o plano luminoso de Deus para a família” e ajudar “os esposos a viverem-no com alegria ao longo dos seus dias, acompanhando-os no meio de tantas dificuldades.” (20 de fevereiro de 2014).

[1] Este pode ser adquirido junto aos casais coordenadores da Pastoral Familiar, ou através da loja da Pastoral Familiar: www.lojacnpf.org.br