Um estilo cristão de presença no mundo digital

Enormes oportunidades nas novas mídias para expandir as fronteiras da evangelização

| 1138 visitas

Padre Marco Tasca

VATICANO, segunda-feira, 15 de outubro de 2012 (ZENIT.org) - Apresentamos abaixo a intervenção do pe. Marco Tasca, ministro geral da Ordem Franciscana dos Frades Menores Conventuais, na Nona Congregação Geral do Sínodo dos Bispos, em 13 de outubro de 2012.

***

Como sexto cenário a ser lido e decifrado neste Sínodo, depois dos cenários cultural, migratório, econômico, político, científico e tecnológico, os números 59 a 62 do instrurnentum laboris nos indicam o cenário da comunicação.

Aqui nós não apenas temos que observar a difusão massiva dos meios de comunicação, mas o fato de que hoje vivemos numa verdadeira cultura das mídias de massa.

Hoje, a maioria dos homens e das mulheres organizam a sua vida profissional e emocional, recreativa e relacional com base nos meios de comunicação, especialmente a internet e os smartphones. A mídia constitui, sem dúvida, uma grande oportunidade.

“Nos meios de comunicação”, escreve o beato João Paulo II, “a Igreja encontra um apoio precioso para difundir o Evangelho. Ela os emprega de bom grado para fornecer informações sobre si mesma e para expandir os limites da evangelização, da catequese e da formação, considerando a sua utilização como uma resposta ao mandamento do Senhor: ‘Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura’ (Mc 16, 15)" (Carta Apostólica de24 de janeiro de 2005, núm. 7).

É uma questão de descobrir que "existe um estilo cristão de presença no mundo digital" (Mensagem do Santo Padre Bento XVI para a XLV Jornada Mundial das Comunicações Sociais: Verdade, Anúncio e Autenticidade de Vida na Era Digital, 24 de janeiro de 2011), que hoje deve ser cada vez mais caracterizada como uma proposta de perfil de identidade (inclusive digital), coerente e acolhedor.

A nova evangelização é uma questão de novas relações, a partir das quais é possível transmitir o anúncio explícito de Jesus Cristo como o salvador único e universal. Se a mídia é, por definição, massiva, então a perspectiva cristã que deve operar na mídia tem que levar ao entendimento da pessoa na sua singularidade, no seu ser destinatário da revelação de Deus. Assim, nós temos que desfrutar das muitas oportunidades que as novas fronteiras do cenário comunicativo nos oferecem.

[Trad.ZENIT]