Um festival musical ecumênico para falar da verdade, da bondade e da beleza

Encerrada na Polônia a 23ª edição do Festival Internacional de Música Sacra Gaude Mater, iniciado em 1991 na Jornada Mundial da Juventude em Czestochowa

Roma, (Zenit.org) | 421 visitas

As sugestivas notas do flamenco ressoaram na basílica polonesa de Jasna Góra neste 1º de maio, quando o célebre santuário recebeu a “Missa Flamenca”, obra de flamenco para coro clássico, durante a abertura do 23º Festival Internacional de Música Sacra Gaude Mater, evento musical que surgiu em 1991, durante a VI Jornada Mundial da Juventude, em Czestochowa.

A Missa Flamenca foi executada pelo violonista espanhol Paco Peña, compositor e produtor, pelos músicos da Paco Peña Flamenco Company e pelo grupo coral Camerata Silésia, da cidade polonesa de Katowice.

Durante o festival, foi apresentada também a "Missa in Memoriam Beati Georgii Popiełuszko", de Łukasz Urbaniak, dedicada ao beato Jorge Popiełuszko por ocasião do 30º aniversário da sua morte. A apresentação foi executada pelo coro da Universidade Cardeal Stefan Wyszynski, de Varsóvia, regido pelo prof. Kazimierz Szymonik, e pela Orquestra Nova et Vetera, regida por Michał Sławecki.

Na abertura do evento, dom Waclaw Depo, arcebispo de Czestochowa, recebeu o público recordando as três palavras que “sempre inspiraram a arte e a história dos povos e das nações: verum, bonum, pulchrum; ou seja, a verdade, a bondade e a beleza”.

"Pela verdade é preciso lutar, porque sem ela não se pode viver", disse o arcebispo. "A bondade é um valor que vem do próprio Deus, e, portanto, deve ser herdada. E a beleza é outro valor sem o qual o homem não pode ser criativo".

A programação do Festival Gaude Mater contou ainda com a participação de representantes da música gospel, da música ortodoxa e do canto gregoriano. Na igreja de São Tiago Apóstolo, em Czestochowa, algumas canções sacras orientais foram executadas pelo Trio Fawzy Al-Aiedy. Na igreja luterana foi apresentado um concerto de música gospel com os membros do coro inglês IDMC (Indivíduos Dedicados ao Ministério de Cristo). No dia 4 de maio, na igreja de Jesus Cristo Sumo e Eterno Sacerdote, junto ao Seminário Maior, apresentou-se o coral da igreja ortodoxa Smolny, da Rússia.

O festival ofereceu ainda o espetáculo bíblico Jonas, no Teatro A, em Gliwice. A peça teatral é baseada no livro do Velho Testamento e foi concebida como iniciativa para o Ano da Fé.

Finalmente, realizou-se o extraordinário concerto pelo 80º aniversário do compositor polonês Krzysztof Penderecki, na basílica de Jasna Góra, na qual participaram, além dos solistas, os 90 músicos da Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio Polonesa.

O 23º Festival Internacional de Música Sacra foi acompanhado pelo projeto cultural Ethno Gaude Mater, dedicado à dimensão multicultural do mundo da música sacra.

Durante o projeto, foi dada grande atenção à cultura da Geórgia e do Cazaquistão. O evento deste ano foi organizado pela Associação Amigos do Gaude Mater e aconteceu em seis cidades. A maioria dos dez shows, com artistas procedentes de 14 países, foi realizada em Czestochowa, mas envolveu outras cidades como Gdansk, Cracóvia, Katowice, Radomsko e Lubliniec.

O festival tem uma dimensão ecumênica que o torna um dos eventos musicais mais importantes da Polônia, além de uma das maiores manifestações de música sacra da Europa. “A ideia do Gaude Mater”, disse a ZENIT o diretor do Festival, Małgorzata Nowak, é reunir as diversas culturas e religiões, apresentando a música sacra típica das várias confissões religiosas".