Um livro sobre "a freira que salvou João Paulo II"

Irmã Montanella era Rita filha espiritual de São Padre Pio. A obra revela que o frei capuchinho previu o ataque de Agca contra o pontífice polonês

Madri, (Zenit.org) Ivan de Vargas | 898 visitas

São Pio profetizou o atentado de Ali Agca contra João Paulo II em 13 de maio de 1981. Esta é uma das revelações da vaticanista Cristina Siccardi em seu livro "A freira que salvou João Paulo II" (Ed. San Román ).

Portanto, Padre Pio não só previu que o Papa Karol Wojtyla seria Papa, mas também que sofreria um ataque do qual escaparia milagrosamente graças à intervenção providencial da Virgem de Fátima e de uma monja agostiniana, filha espiritual do frei capuchinho, que misteriosamente estava presente naquele dia na Praça de São Pedro.

Quem é esta mulher que não causa ecos na mídia, mas que o próprio criminoso responsabilizou pela frustrada tentativa de assassinato do pontífice polonês? Em sua obra, Siccardi apresenta uma rigorosa investigação sobre a irmã Rita do Espírito Santo, conhecida como a "menina" de Padre Pio, que morreu em odor de santidade em 26 de novembro de 1992, no convento de clausura de Santa Croce sull`Arno.

De forma apaixonante, a jornalista italiana e historiadora explica como Padre Franco D'Anastasio, que acompanhou a religiosa por muitos anos e teve inúmeras conversas particulares com a freira, que só concordou em revelar após sua morte, relata a bilocação naquele fatídico 13 maio de 1981 em São Pedro.

Em seu depoimento ao juiz, o atirador turco reconheceu que uma freira, no momento do disparo, desviou o tiro, que de outra forma teria sido fatal. A mística revelou ao sacerdote passionista que ela foi a protagonista desse fato, acrescentando que neste dia também estava presente Maria Santíssima.

Em 2006, por ocasião do vigésimo quinto aniversário do ataque ao Papa, o Cardeal Stanisław Dziwisz recebeu um comunicado assinado pelo Padre D'Anastasio, autenticado por um notário, contendo as palavras exatas pronunciadas pela Irmã Rita Montella.

A ‘vida de reparação’ desta freira de clausura se entrelaça com a de Padre Pio, repleta de dons e carismas, entre eles, a bilocação. Seu vínculo com o capuchinho é muito especial e está documentado pelo Padre Teófilo dal Pozzo, uma verdadeira autoridade franciscana, que foi superior da Província dos Capuchinhos de Foggia e diretor espiritual da religiosa por um tempo, e também superior e amigo do santo.

Padre Teófilo testemunhou as missões compartilhadas de Padre Pio e Irmã Rita. Ele também foi o primeiro a verificar, de forma rigorosa e profunda, os carismas recebidos pela religiosa agostiniana, juntamente com o Padre D'Anastasio.

(Trad.:MEM)