Um protestante à frente da Academia das Ciências do Papa

Bento XVI nomeia o prêmio Nobel Werner Arber

| 1356 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 17 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) – Bento XVI nomeou presidente da Pontifícia Academia das Ciências o prêmio Nobel Werner Arber, professor emérito de Microbiologia da Universidade de Basiléia (Suíça), conforme divulgado em 15 de janeiro pela Assessoria de Imprensa da Santa Sé. 

Arber, protestante, é o primeiro não católico nomeado por um papa para dirigir esta instituição vaticana, da qual fazem parte cientistas independentemente da crença que professam.

O professor Arber nasceu em Gränichen (Suíça) em 3 de junho de 1929. Em 1978 recebeu o Prêmio Nobel de Medicina, dividido com Daniel Nathans e Hamilton O. Smith, pelos seus trabalhos sobre as enzimas de restrição. Estas enzimas são proteínas que dividem as seqüências do ácido desoxirribonucléico (DNA), o que permitiu modificações na molécula de DNA e a ampliação dos conhecimentos em biotecnologia.

Casado e com dois filhos, Arber foi presidente do International Council for Science (ICSU) e tinha sido nomeado acadêmico pontifício em 1981.

A Pontifícia Academia das Ciências foi fundada em Roma, em 1603, com o nome de Academia dos Linces (Galileo Galilei foi membro), e está composta por oitenta "acadêmicos pontifícios" nomeados pelo Papa, segundo proposta do Corpo Acadêmico, sem discriminações de nenhum tipo.

Tem como finalidade honrar a ciência pura onde quer se encontre, assegurar sua liberdade e favorecer as pesquisas, que constituem a base indispensável do progresso das ciências. O Papa nomeia seu presidente por um período de quatro anos.