Uma catequese à altura das crianças

Coluna de orientação catequética aos cuidados de Rachel Lemos Abdalla

Campinas, (Zenit.org) Rachel Lemos Abdalla | 862 visitas

Deus, que está nas alturas, além da nossa compreensão, se permite vir até os homens e se fazer um deles para diretamente falar-lhes ao coração. É Jesus, no seu kenosis, nos dando uma lição de como se aproximar do outro e ensinar a Boa Nova. Ele se faz pequeno, coloca-se na mesma condição humana para ensinar que ninguém é maior, a não ser o Pai.

Encontramos, nos Evangelhos, Jesus sentado falando ao povo ou alguém sentado ouvindo Jesus falar. Mas o que significa estar sentado? Aquele que senta-se aos pés de Jesus para ouvi-Lo, está buscando a sabedoria na fonte, é o discípulo diante do Mestre, sedento de conhecimento, disposto a ouvir e apreender o ensinamento para aplicá-lo na vida. Estar sentado é estar à vontade, aberto e pronto para acolher uma mensagem!

Sentar-se diante de alguém significa ter liberdade, intimidade, proximidade com o outro que fala ou que escuta. Quando nos mantemos de pé, formalizamos uma situação de limitação, de distanciamento e não acomodação, fazendo com que o outro não se sinta à vontade ou verdadeiramente acolhido durante uma conversa íntima.

Encontramos o exemplo de Maria que senta-se aos pés de Jesus para ouvi-Lo enquanto sua irmã, Marta, fica em meio aos seus afazeres. E Jesus lhe diz: Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada (Lc 10,38-42)’.

E Jesus também senta-se junto ao povo, na montanha, para anunciar as bem-aventuranças. Ali, o terreno era árido, mas, mesmo assim, ele lança sementes! Ele não tem medo, e sim, uma missão!

E quanto nós? Como nos posicionamos diante dos nossos catequizandos? Como anda a nossa semeadura?

Como discípulos missionários, somos chamados a evangelizar! Mas, para cumprirmos essa missão, é preciso seguir o que Jesus nos ensina, também, nas entrelinhas do Evangelho.

Jesus sobe a montanha, Jesus desce a montanha, Jesus se retira, ora se aproxima. São atitudes que nós devemos praticar no processo da catequese!

Junto com os nossos catequizandos, precisamos nos colocar à altura deles, não somente fisicamente, mas também no sentido de fazer chegar a mensagem através de uma linguagem compatível com o entendimento de cada um. Cada dia mais é preciso se aproximar do outro, assim como fez Jesus que desceu à nossa altura para se fazer compreender, sentou-se junto ao povo para fazê-los íntimos e dar o exemplo de como evangelizar.

O catequista, assim como Jesus fez, precisa colocar-se próximo dos seus catequizandos, à vontade, sem receios, promovendo o encontro dos seus olhos com os olhos deles. Tornando-se, assim, ponte de acesso ao Pai, à medida que se dobra para se fazer pequeno dentre os pequeninos.

Para ler o artigo anterior clique aqui.