Uma luz do outro lado do mundo

Inaugurada a maior catedral dedicada a Nossa Senhora de Fátima, em Karaganda

| 930 visitas

Por Sandra Dias

ROMA, quarta-feira, 12 de setembro de 2012 (ZENIT.org) - Assumir na vida a missão de evangelização não é uma tarefa fácil nos dias de hoje, onde tantas “distrações” nos cegam, e tantas vezes procuram fazer-nos esquecer Aquele que tem a verdadeira resposta a tudo que necessitamos – Deus.

Mas esta evangelização, torna-se ainda mais difícil quando nos deparamos com um povo que durante mais de 50 anos, foram vitimas de repressões políticas que tentaram apagar a sua fé. Estou de forma especial a falar do Cazaquistão.

No dia 09 de Setembro, foi inaugurada a maior catedral dedicada a Nossa Senhora de Fátima, em Karaganda. Uma cidade do Cazaquistão, que na época soviética era o centro de um conjunto de campos de concentração  chamado “Karlag” – “Karaganda Lager” e que por isso a catedral foi construída, em homenagem às vitimas de repressões politicas e religiosas.

Como jornalista destacada para a cobertura da inauguração, confesso que foi uma experiência única e inesperada.

Visitar o edifício administrativo de “Karlag”, agora transformado em Museu, e onde se encontram valiosos documentos, fotos, vídeos, livros, objetos pertencentes aos prisioneiros que passaram por este campo de concentração, trouxe-me um sentimento de incredulidade perante o mal que o ser humano é capaz de cometer contar outro seu semelhante; e muito pesar pelas atrocidades cometidas.

 Em contraste com tudo isto, está a nova Catedral dedicada a  Nossa Senhora de Fátima.

Uma catedral em estilo neogótico, com uma presença poderosa num dos bairros de karaganda, mas que em tudo se vê a presença de Nossa Senhora. Seja pela visão de uma réplica da imagem de Nossa Senhora, da Basílica de Fátima, que se encontra bem no topo a acolher os que ali chegam; como pela cor e simplicidade como tudo ali foi harmonizado, numa estética sacra, e onde a arte tem um lugar especial.

Testemunho disso, são  as 14 telas pintadas pelo artista e teórico da arte Rodolfo Papa, de Roma, e que estão em total consonância com o espaço e cores da Catedral. Estas telas que expressam o mistério da Eucaristia e onde foram escolhidas imagens eucarísticas da sagrada escritura que vão desde o sacrifício de Abel, o sacrifício de Melquisedeque, o sacrifício de Abraão, o cordeiro pascal, o maná do deserto, o alimento do profeta Elias no caminho para o monte de Deus, o templo de Jerusalém, Belém como “casa do pão”, o milagre das bodas de Canaã, a multiplicação dos pães, o discurso eucarístico do Evangelho de São João, a última ceia, Emaús, o Cordeiro da Jerusalém Celeste, dão o remate final a toda a beleza e propósito de existir da Catedral.

Visitar a Catedral de Nossa Senhora de Fátima, em Karaganda, é não só um espaço de reflexão e oração para todos os que a visitem, mas também uma porta aberta para todos que desejem descobrir uma experiencia de encontro com Deus, através de Maria, que já conquistou muitos corações.

«Esta é a casa de Deus, esta é a porta do céu» (Domus Dei-porta coeli), são as palavras sagradas escritas nas portas de bronze à entrada da catedral ,e com elas termino pois são a expressão do sentimento que me acompanhou na cobertura da inauguração desta Catedral.