"Uma realidade excepcionalmente dinâmica"

Reitor da Universidade de Roma Foro Itálico saúda Bento XVI

| 799 visitas

VATICANO, segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 (ZENIT.org) – Publicamos a seguir a saudação dirigida ao papa Bento XVI neste sábado, dia 1º de dezembro, por Paolo Parisi, reitor da Universidade de Roma Foro Itálico, por ocasião da peregrinação universitária ao túmulo de São Pedro.

***

Santidade,

É motivo de grande honra e alegria, para mim, como Reitor da Universidade do Foro Itálico, a quarta Universidade Estatal de Roma, oferecer-lhe, em nome de toda a comunidade universitária romana, os sentimentos de mais profunda gratidão por este encontro.

O mundo universitário, mais do que nunca, está hoje diante dos difíceis desafios dos tempos: desafios que põem em discussão o próprio modelo de universidade que herdamos, as formas, os conteúdos e os objetivos da formação que ali é dada.

Aquele que há séculos tem sido o local privilegiado da alta formação, do processamento e da transmissão do conhecimento, do encontro e do crescimento cultural e moral, é também uma realidade extraordinariamente dinâmica, colocada dialeticamente diante da sociedade e das instituições; uma interface fundamental, cada vez mais focada nas questões do desenvolvimento e do trabalho, da equidade e da solidariedade, da relação entre a consciência individual e a lei moral, num confronto cultural, social e intergeracional, muitas vezes acalorado.

A universidade está na vanguarda do tratamento das questões mais críticas que emergem da história, daquela história que desafia continuamente a consciência do homem e que, como Vossa Santidade quis enfatizar, deve ser abordada também pela fé.

Assim, qualquer que seja a real consistência do "eclipse do sagrado", que há tempos caracteriza uma sociedade cada vez mais secularizada, e daquele "desejo de Deus", que parece ser seu singular e significativo contraponto, evidencia-se entre a universidade e a Igreja a extraordinária oportunidade de um diálogo profundo e frutífero, como não como deixará de ser destacado pelo Simpósio Internacional dos Professores Universitários, previsto para junho próximo, sobre "As culturas diante de Deus", e que o Ano da Fé, num contexto social e mundial tão convulsivo, só pode estimular e valorizar.

Santo Padre, vivemos tempos extraordinários, em que todos sentimos nos ombros o peso de acontecimentos cruciais, capazes de incidir profundamente em nossas vidas, em nossas esperanças, em nossa visão do mundo. Um fardo que pesa também sobre os ombros da Igreja, contemplada por muitos, especialmente pelos jovens, com esperança. Uma Igreja que, no espírito da nova evangelização, destinada a promover, nas palavras de Vossa Santidade, "um novo humanismo capaz de gerar cultura e compromisso social", consiga procurar e oferecer respostas na dimensão espiritual que lhe é própria, bem como nos âmbitos ético-moral e de ação social. Uma ação pró-ativa, um convite ao diálogo, inclusive e principalmente às várias formas de espiritualidade, na busca do que une e na superação do que divide, para uma ação comum no interesse superior da vida material e espiritual da humanidade, a fim de florescer o cântico novo que o salmista invoca e que talvez só a Igreja possa hoje promover com alguma chance de sucesso.

Com estes votos e com essa esperança, que é confiança, em nome das comunidades universitárias romanas e da região, eu lhe ofereço, Santo Padre, o desejo de um Natal que para a Igreja e para todos seja repleto dos dons do Espírito.

(Trad.ZENIT)