Unir-se numa Rede Internacional pela Vida

Entrevista ao Prof. Felipe Nery, representante no Brasil da Human Life International

Brasília, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 957 visitas

Dos dias 3 ao 6 de Novembro, no mosteiro de São Bento, na cidade de São Paulo, realizou-se o II Congresso internacional pela verdade e pela vida.

O prof. Felipe Nery, organizador do Congresso, representante para o Brasil da Human Life International, diretor do colégio de S. Bento de S. Paulo, casado e com 5 filhos, concedeu ao zenit uma entrevista exclusiva, ao final do evento.

À primeira pergunta sobre o motivo inspirador do Congresso, o prof. Felipe, lembrando o Beato João Paulo II, disse: “estamos diante de uma cultura da morte e devemos decidir pela vida”.

A novidade desse Congresso, segundo o professor, foi ter realizado “pela primeira vez em território brasileiro, uma reunião de reflexão de temas tão polêmicos, e com palestrantes tão capacitados e diversificados”;

O professor destacou como muitas pessoas já assimilaram a cultura contrária à vida em diversos setores da sociedade: seja nos livros de texto das crianças, nas escolas, na educação, na ciência...

Citando o mito da Caverna de Platão, desejou que o Congresso tenha iluminado, e que os participantes ali presentes, ou que tenham participado pela internet, tenham recebido a força e a preparação necessárias para apresentar ao mundo a verdadeira luz de Cristo, que ilumina todos os cantos da vida do homem.

O prof. Felipe Nery também notou a dificuldade de se enxegar os grandes problemas que a Vida Humana enfrenta hoje. “Hoje em dia, há uma mudança de terminologia”, afirma o professor, “durante largos anos grandes grupos conseguiram semear certa confusão na mente das pessoas com termos e conceitos errados”.

Diz o professor: “O mesmo escritor ateu Beltrand Russell – netamente fora do ambiente cristão – deixou escapar no seu livro, O impacto da ciência na sociedade, uma solução ao problema, na idéia de que a informação é a forma mais rápida para derrubar essa grande maquinária global de instrumentalização da informação, pois nada como o conhecimento e a verdade para liberar o homem dos laços do mal"; e, continuou o professor, “nosso desejo é que as pessoas saibam, conheçam, estudem e tenham o direito de entender as coisas assim como elas são.”

À pergunta sobre as perspectivas do Congresso para o futuro, o prof. Felipe Nery disse que no próximo ano se terá outro, com novos pregadores, do mesmo nível dos que vieram nesse ano e com novas temáticas.

 Por último, o professor Felipe mostrou o seu desejo de “que as pessoas que participaram desse congresso possam se unir numa rede internacional para a defesa da vida.”