Universidade precisa de jovens missionários, reconhece Papa

Mais de mil estudantes europeus se reúnem em Roma

| 1996 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 13 de julho de 2009 (ZENIT.org).- “Sede sempre conscientes do vosso potencial e, ao mesmo tempo, da vossa responsabilidade”, recomendou Bento XVI neste sábado a mais de mil universitários europeus.

O Papa recebeu em audiência no Vaticano os participantes do 1º Encontro de Estudantes Universitários Europeus, promovido pela comissão Catequese-Escola-Universidade, do Conselho das Conferências Episcopais da Europa, e organizado pelo vicariato de Roma.

Em seu discurso, o pontífice os animou a “prosseguir no caminho da elaboração cultural que São Bento intuiu como necessário para o amadurecimento humano e cristão das populações da Europa”.

E lhes garantiu: “Isso pode ser realizado se vós, como os discípulos de Emaús, encontrardes o Senhor ressuscitado na experiência eclesial concreta, particularmente na Celebração Eucarística”.

“Vosso compromisso missionário no âmbito acadêmico consiste, portanto, em testemunhar o encontro pessoal que tivestes com Jesus Cristo”, destacou.

Sobre o âmbito universitário, o Papa constatou que “na universidade, a presença cristã se torna cada vez mais exigente e ao mesmo tempo fascinante”.

E isso é assim “porque a fé está chamada, como nos séculos passados, a prestar seu insubstituível serviço ao conhecimento que, na sociedade contemporânea, é o verdadeiro motor do desenvolvimento”.

Neste sentido, Bento XVI afirmou que “do conhecimento, enriquecido com a contribuição da fé, depende a capacidade de um povo de saber olhar para o futuro com esperança, superando as tentações de uma visão puramente materialista de nossa essência e da história”.

“Trabalhar para o desenvolvimento do conhecimento é a vocação específica da universidade, e requer qualidades morais e espirituais cada vez mais elevadas frente à vastidão e complexidade do saber da humanidade”, declarou.

O Papa se dirigiu aos jovens presentes com palavras de esperança: “Vós sois o futuro da Europa”.

E lhes pediu: “Investi vossos melhores recursos, não somente intelectuais, para consolidar vossa personalidade e para contribuir com o bem comum”.

“Contribuí, junto aos vossos professores, na criação de laboratórios da fé e da cultura, compartilhando a fadiga do estudo e da pesquisa com todos os amigos que encontreis na universidade”, acrescentou.

A expressão “laboratório da fé” foi utilizada pelo Papa João Paulo II na vigília de Tor Vergata, realizada em agosto de 2000, no Jubileu dos Jovens.

As seguintes Jornadas Mundiais da Juventude foram qualificadas posteriormente como “laboratórios da fé”, lugares onde se vive a experiência da fé.

Bento XVI também garantiu aos estudantes que “a Igreja na Europa confia muito no compromisso apostólico de todos vós, consciente dos desafios e das dificuldades, mas também do grande potencial da ação pastoral no âmbito universitário”.

A audiência do Papa se converteu em um dos momentos centrais do encontro, realizado na universidade romana de Tor Vergata na semana passada, de 9 a 12 de julho.

Mais de mil jovens, de 31 nações europeias, refletiram sobre o tema “Novos discípulos de Emaús. Como cristãos na universidade”.

Na audiência, o Papa desejou: “Vosso encontro desses dias em Roma poderá indicar ulteriores etapas a percorrer para um planejamento mais orgânico, que favoreça a participação e a comunhão entre as diversas experiências que já funcionam em tantos países”.

Após o encontro com o Papa, os jovens celebraram a Eucaristia na Basílica de São Pedro, presidida pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano.

O encontro começou na quinta-feira, com uma Missa na Basílica Lateranense; em sua inauguração, contou com a participação do prefeito de Roma, Gianni Alemanno.

Os universitários refletiram sobre o encontro entre o Senhor e os discípulos de Emaús e sua atualidade para os jovens apóstolos do novo milênio. Abordaram temas como os novos desafios da ciência e da tecnologia, as raízes cristãs da Europa, as tendências atuais da cultura contemporânea e a missão evangelizadora dos jovens universitários do novo milênio.

Um dos participantes destacou para Zenit durante o encontro: “Os discípulos de Emaús reconheceram Jesus ao partir o pão”. E acrescentou: “Este encontro pleno deve também ser solicitado na vida das nossas universidades e está acompanhado de duas experiências fundamentais: Palavra e Eucaristia”.

Alguns dos países representados no encontro foram: Albânia, Bélgica, Bósnia-Herzegóvina, Bulgária, Croácia, Chipre, Finlândia, França, Alemanha, Inglaterra, Grécia, Irlanda, Espanha, Malta, Holanda, Polônia, República Checa, Romênia, Rússia, Eslováquia, Eslovênia, Suíça, Suécia e Letônia.