Uruguai aprova adoção de crianças por pares homossexuais

Uma decisão “grave”, segundo a Igreja

| 2019 visitas

Por Nieves San Martín

MONTEVIDÉU, sexta-feira, 28 de agosto de 2009 (ZENIT.org).- O Uruguai será o primeiro país da América Latina onde pares homossexuais poderão adotar uma criança. A aprovação da Lei de Adoções suscitou as críticas da Igreja através de Dom Nicolás Cotugno, arcebispo de Montevidéu e presidente da Comissão Episcopal para a Família.

Nesta quinta-feira, a Câmara de Deputados do Uruguai aprovou modificações à Lei de Adoções, permitindo que pares do mesmo sexo com quatro anos de união ou concubinato possam adotar.

A medida foi aprovada com 40 votos a favor e 13 contra, após uma longa sessão parlamentar. 

Como o projeto sofreu algumas modificações com respeito ao que havia sido aprovado pelo Senado em 15 de julho, deverá regressar ali para que essas modificações sejam “aceitas ou rejeitadas”, ainda que se prevê que seja aceito. 

No ano passado, já havia sido aprovada no Uruguai a união civil de homossexuais, que oferece reconhecimentos semelhantes aos do matrimônio. 

Dom Nicolás Cotugno sdb, em sua nota titulada "Es grave aceptar la adopción de niños por parejas homosexuales", recordou que este assunto “não é um tema de religião, de filosofia ou de sociologia. É algo que refere essencialmente ao respeito da própria natureza humana”. 

“Aceitar a adoção de crianças por pares homossexuais é ir contra a própria natureza humana, e consequentemente ir contra os direitos fundamentais do ser humano enquanto pessoa”.