Vaticano confirma excomunhão de grupo norte-americano

Denominado Corporação Santo Estanislau Kostka

| 770 visitas

SAINT LOUIS, sexta-feira, 30 de maio de 2008 (ZENIT.org).- Uma decisão da Congregação vaticana para a Doutrina da Fé confirmou uma anterior declaração do arcebispo de Saint Louis, Estados Unidos, de que a equipe de diretores da Corporação de Santo Estanislau Kostka e o sacerdote que eles contrataram estão excomungados.

A corporação está associada com a que era denominada paróquia Santo Estanislau Kostka.

O arcebispo Raymond Burke, em sua coluna desta semana no “St. Louis Review”, publicada nesta sexta-feira, explica a história do esclarecimento da congregação vaticana.

Assinala que em 2005, «foi obrigado a declarar a excomunhão dos membros da equipe de diretores da Corporação de Santo Estanislau Kostka devido à sua persistência no cisma. Os membros da comissão diretora cometeram o mais grave delito de cisma, contratando um sacerdote suspenso, ou seja, um sacerdote sem boa reputação na Igreja, com o propósito de tentar celebrar os sacramentos e sacramentais na igreja de Santo Estanislau Kostka, fora da comunhão da Igreja Católica».

O sacerdote implicado, Pe. Marek Bozek, da diocese de Springfield – Cape Girardeau, deixou seu posto sacerdotal contra a vontade expressa de seu bispo, Dom John Leibrecht, com o fim de ser contratado pela Corporação de Santo Estanislau Kostka.

O sacerdote foi suspenso de todos os atos do poder das sagradas ordens e de governo.

Em Saint Louis, o arcebispo Burke disse que «pediu insistentemente [ao Pe. Bozek] que ele fosse obediente a seu bispo e não participasse da atividade cismática da equipe de diretores da Corporação de Santo Estanislau Kostka. O reverendo também recusou seguir minha direção e, do mesmo modo, incorreu na pena de excomunhão por sua persistência no cisma».

A equipe apelou a uma revisão, mas a Congregação para a Doutrina da Fé empreendeu duas ações, explicou o arcebispo: «Primeiro, rejeitou o recurso apresentado pela equipe de diretores da Corporação de Santo Estanislau Kostka, inclusive ao padre Bozek. Em outras palavras, considerou que o recurso não tem fundamento».

«Em segundo lugar, a Congregação confirmou meu decreto de 15 de dezembro de 2005, no qual declaro que os membros da equipe de diretores incorreram na pena canônica de excomunhão devido à sua persistência no cisma.»