Vaticano não modificou enciclopédia Wikipédia

Declaração de seu porta-voz

| 1124 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 17 de agosto de 2007 (ZENIT.org).- A Santa Sé desmentiu as notícias segundo as quais teria alterado uma parte da enciclopédia Wikipédia.



O Pe. Federico Lombardi, S.J., declarou que «carecem de toda seriedade e de toda lógica» as acusações dirigidas à Santa Sé por ter manipulado essa «enciclopédia livre», que, como ela mesma explica, é «escrita de forma colaborativa por seus leitores».

«É absurdo tão só imaginar que uma iniciativa assim tenha podido ser levada em consideração», acrescenta o porta-voz, em uma nota difundida pela «Rádio Vaticano», da qual também é diretor.

Para o Pe. Lombardi, «teria sido suficiente uma simples verificação jornalística para compreender que a modificação da parte da Wikipédia não tem nada a ver com a Santa Sé».

Segundo informou nesta quinta-feira a emissora pública britânica BBC, alguns organismos como a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA) ou o Vaticano teriam alterado conteúdos da enciclopédia Wikipédia.

A constatação dessas alterações se teria feito através de uma nova ferramenta, o chamado Wikipédia Scanner, que permite revelar a identidade de organizações que modificam páginas da enciclopédia virtual, que redigem e editam os próprios usuários em mais de 120 idiomas.

Segundo a BBC, alguém usou computadores do Vaticano para editar uma página sobre Gerry Adams, líder do Sinn Fein, o partido republicano da Irlanda do Norte.

Esse usuário anônimo retirou indicações que ligavam com artigos jornalísticos sobre o suposto aparecimento de impressões digitais de Adams em um automóvel utilizado em 1971 em um duplo assassinato.

A seção em questão, titulada «Novos interrogantes sobre o assassinato», desapareceu da página do chefe do Sinn Fein.

Para o Pe. Lombardi, trata-se de uma «notícia de 16 de agosto», dia no qual não costuma haver muitas notícias por causa das férias do verão boreal, e que recebeu amplo espaço em muitos meios de informação.

O diretor da Sala de Informação do Vaticano explicou que, em caso de que se confirme a notícia da BBC, é preciso levar em consideração que no Vaticano há obviamente muitos computadores e que qualquer pessoa teria podido ter acesso a Wikipédia através de um deles.

«Do mesmo modo, nesse caso, a Santa Sé não tem nada a ver com isso», conclui o Pe. Lombardi.