Venezuela: pedido de mediação do Papa Francisco para a libertação de presos políticos

A espera da libertação de Baduel e Afiuni

Caracas, (Zenit.org) | 467 visitas

Reproduzimos um artigo de Francisco Custódio, publicado hoje no jornal El Nacional de Caracas, Venezuela, que faz alusão ao pedido de mediação do papa Francisco para a libertação de presos políticos.

O deputado da Assembleia Nacional Edgar Zambrano afirmou que desde o Poder legislativo foi tomada uma série de decisões que podem conduzir à libertação de prisioneiros e exilados políticos no país.

Zambrano disse que "a Venezuela está aguardando a libertação, nas próximas horas, de vários presos políticos; amanhã será a juíza Maria Lourdes Afiuni, ontem foi o irmão do general Medina Gómez e um dos executivos de uma corretora da bolsa de valores. Esperamos também a libertação do general Raúl Isaías Baduel para logo negociar e discutir o mecanismo de chegada de um grupo de exilados políticos".

O deputado fez referência à próxima visita que realizará ao Vaticano para se encontrar com o Papa Francisco e explicou que a intenção é que o pontífice possa mediar a libertação "dos presos políticos venezuelanos, o retorno dos exilados e o cessar das perseguições políticas".

Manifestou que irá a Igreja Católica "porque é uma instituição com grande valor, credibilidade e com um número de seguidores que ocupa um espaço significativo na vida do país".

Afirmou ainda que é possível resolver tais problemas com a colaboração de várias instituições, por isso irão visitar várias delas no país e no exterior, a fim de criar um clima que impulsione a decisão do Poder Executivo.

"Na Venezuela há três maneiras para solucionar o exílio e a prisão: a Lei de Anistia Nacional e Reconciliação Política, que está no Parlamento desde novembro; a habilitação do presidente por mandato constitucional, e as que funcionam através de operadores de justiça ", explicou o deputado.