“Verbum Domini”: reflexões e aplicações

De Dom Gianfranco Ravasi e Dom Nicola Eterovic

| 1638 visitas

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 12 de novembro de 2010 (ZENIT.org) - Se o Papa Bento XVI quis dedicar uma assembleia sinodal à Palavra de Deus em 2008, "talvez tenha sido porque havia um pouco de poeira e era necessário colocá-la novamente no centro", disse o presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, Dom Gianfranco Ravasi.

O futuro cardeal interveio ontem na apresentação da exortação apostólica pós-sinodal Verbum Domini, realizada na Sala de Imprensa da Santa Sé.

O ato contou também com a presença do prefeito da Congregação para os Bispos, cardeal Marc Ouellet PSS; do secretário-geral do Sínodo dos Bispos, Dom Nikola Eterovic; e do seu subsecretário, Dom Fortunato Frezza.

Dom Eterovic afirmou que o título da exortação apostólica permite "perceber a concordância e também a continuidade entre o Antigo e o novo Testamentos".

Indicou que os objetivos deste documento pontifício são: "comunicar os resultados da assembleia sinodal, redescobrir a Palavra de Deus, fonte constante de renovação eclesial", assim como "promover a animação bíblica da pastoral, ser testemunhas da Palavra" e, por último, "empreender uma nova evangelização".

Dom Ravasi definiu o documento pontifício como "altamente teológico e pastoral"; disse que a exortação apostólica convida a fazer uma reta interpretação das Sagradas Escrituras e adverte sobre os perigos dos grupos fundamentalistas, "que às vezes usam a tradução de uma tradução em inglês", afirmou o prelado.

"O entusiasmo é tanto, que a fidelidade material se converte em infidelidade ao conteúdo", advertiu o presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, referindo-se ao fundamentalismo bíblico.

Meios para entender a Palavra

Dom Nikola Eterovic ressaltou como o documento destaca alguns meios que ajudam a aprofundar na mensagem da Palavra de Deus, entre eles a liturgia, as missões, os retiros espirituais e as peregrinações.

Quanto às celebrações litúrgicas, disse que é necessário prestar uma atenção especial a recursos externos, como "o templo, o ambão, o altar, os próprios instrumentos de difusão acústica e de leituras bíblicas".

Também destacou a grande importância do canto, que "favorece a percepção unitária da liturgia", a qual "se alimenta da Palavra de Deus desde o início no rendimento das diferentes partes celebrativas".

O prelado indicou, assim, a maneira como o Papa, além de sintetizar as comunicações dos padres sinodais, ilumina suas intervenções com pontos centrais do seu magistério.

"Levando em consideração tais fatos, poderíamos concluir que o Santo Padre Bento XVI pode ser definido como o Papa da Palavra de Deus", finalizou Dom Eterovic.