Vietnã: apelo à solidariedade com 15 católicos detidos

Presos por razões de consciência

| 1097 visitas

HANÓI, sexta-feira, 2 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – As autoridades vietnamitas prenderam 15 jovens católicos durante os meses de julho e agosto. Seis deles se encontram no campo de internação provisório B14 de Hanói, enquanto se desconhece o paradeiro e o estado de saúde dos outros.

Suas famílias lançaram um apelo à solidariedade, através de uma carta aberta na qual pedem o apoio ativo e a oração do conjunto da Igreja e dos crentes, segundo informou ontem a agência Eglises d’Asie, das missões estrangeiras de Paris.

As famílias destacam que seus filhos são totalmente inocentes das acusações dirigidas contra eles. Consideram que ninguém pode repreendê-los por estarem comprometidos em atividades sociais, pelo bem comum, nem por terem participado de sessões de formação destinadas a melhorar suas capacidades ao serviço do seu país.

Entre os detidos, encontra-se o jovem estudante Paul Trân Minh Nhât. Em 27 de agosto, ele terminava seus estudos, No final da sua última prova, quando saía da sala, quatro agentes de segurança uniformizados o acompanharam até a porta da universidade e o obrigaram a entrar em um carro que o esperava.

Desde esse dia, a família não recebeu nenhuma notificação de detenção. No entanto, recebeu uma longa carta de Paul, escrita na véspera da sua prisão. A carta, que parece ser de despedida, mostra que o estudante já esperava uma intervenção da polícia, que o seguia e controlava seus movimentos há algum tempo.

Trata-se de uma bela carta em que o jovem explica seu compromisso em atividades militantes relacionadas à educação cristã recebida dos seus pais, a quem agradece pela fé que lhe transmitiram.

Anistia

Enquanto a polícia prendia o estudante, o presidente do Vietnã, Truong Tan Sang, anunciava a libertação de 10 mil detentos por ocasião da festa nacional de 2 de setembro.

Dom Paul Nguyen Thai Hop, OP, bispo de Vinh (diocese de que são originários muitos dos católicos detidos recentemente) e responsável pela Comissão Justiça e Paz, declarou à agência Fides que “a anistia é uma medida que se repete a cada ano e está relacionada frequentemente a condenados por delitos contra a segurança e não a presos por razões de consciência”.

A Comissão Justiça e Paz, dos bispos, acompanha a situação dos direitos humanos, da paz e da justiça no Vietnã com grande atenção, inclusive os casos dos intelectuais não-católicos e membros do partido comunista. O Código Penal vietnamita aplica a pena de prisão para aqueles que criticam o governo publicamente. A justiça vietnamita castigou com longas penas de prisão os representantes cristãos e os grupos políticos não reconhecidos pelo governo.

De acordo com a Comissão de Direitos Humanos no Vietnã, pelo menos 258 prisioneiros políticos e de consciência se encontram nas prisões vietnamitas unicamente devido às suas ideias.