Vietnã: atentado a um orfanato e ataque selvagem a um sacerdote

O arcebispo de Hanói pede uma investigação

| 1007 visitas

ROMA, 25 de abril de 2012 (ZENIT.org) - O arcebispo de Hanói, Vietnã, pediu uma investigação sobre as violências que levaram à destruição de um futuro orfanato e à agressão a um padre.

Ao amanhecer do dia 14 de abril, em uma paróquia da diocese de Hanói, um grupo de indivíduos de origem desconhecida destruiu uma instalação destinada a acolher os órfãos. O padre responsável deste estabelecimento foi espancado de forma selvagem, perdeu a consciência e foi levado ao hospital. No dia seguinte, 15 de abril, foi enviado um comunicado assinado pelo chanceler da arquidiocese narrando os fatos e a "agressão brutal" cometida por um grupo de indivíduos qualificados como mafiosos.

O padre Nguyen Van Binh, pároco da paróquia de Yên Kiên, tinha comprado um terreno de 500 metros quadrados localizado no terreno de outra paróquia, Go Cao (no distrito de Chuong My pertencente à cidade de Hanoi). Tinha construído uma casa com a intenção de acolher jovens órfãos da região.

Às 9 horas da manhã, 14 de abril de 2012, vieram avisar que casa tinha sido demolida no início da manhã. Foi imediatamente ao local. Ali foi agredido de surpresa por uma gangue de mafiosos que lhe agrediram de modo selvagem e o deixaram ali no chão sem sentidos. O comunicado do arcebispo declarou que se tratava de um relato da mesma vítima. Por causa da agressão o padre Binh sofre do tímpano, de derrame de sangue no interior dos ouvidos, de esquimose na cara. Também sente fortes dores na cabeça e no estômado.

Graças ao arcebispo de Hanói e ao conselho paroquial de Yên Kiên, pôde ser transferido a um centro onde recebeu atendimento de emergência e foi submetido a vários testes. O padre está agora sendo cuidado na arquidiocese de Hanói. Seu estado de saúde melhorou um pouco.

Segundo o comunicado do arcebispo, os golpes dados pelo grupo desordeiro constitui uma violação da lei, um atentado brutal à dignidade humana. Esta ato inaceitável e desprovido de humanidade comoveu e encheu de indignação os sacerdotes e os leigos.  Semeou confusão e ansiedade no espírito dos fiéis de diversas comunidades católicas de Chong My. Esta é conclusão do comunicado da arquidiocese.

O arcebispo de Hanói, enviou uma carta à Segurança Pública de Chuong My, pedindo-lhe para fazer uma pesquisa rápida, para que possam acabar estas práticas bárbaras e que nenhuma pessoa possa voltar a sofrer o mesmo. A dignidade humana deve ser respeitada, sublinhou o arcebispo.

Deram-se detalhes adicionais por outras fontes que ofereceram uma versão dos fatos um pouco diferentes. Dão mais ênfase sobre a presença de agentes de Segurança Pública com o grupo desordeiro.

O projeto e a construção do orfanato foi colocado sob a responsabilidade de uma associação beneficente local chamada "Família Agadé”