Vietnã: liberdade religiosa está em perigo?

Pesquisa da Comissão de Liberdade Religiosa Americana

| 1682 visitas

Por Nieves San Martín

WASHINGTON, quarta-feira, 5 de maio de 2010 (ZENIT.org).- A Comissão para a Liberdade Religiosa dos Estados Unidos propôs colocar o Vietnã de volta na lista de “países especialmente preocupantes em relação à liberdade religiosa, devido ao agravamento da situação dos crentes nesse país.

A Comissão para a Liberdade Religiosa no Mundo, dos Estados Unidos, acaba de apresentar, no dia 30 de abril, sua pesquisa sobre o ano de 2009 (junho de 2008 até junho de 2009). O Vietnã é um dos cinco países que a comissão propõe introduzir na lista de países em que as violações à liberdade religiosa são as mais graves.

Um dos membros da comissão americana, Scott Flinse, encarregado dos assuntos da Ásia, explicou esta decisão, informa Eglises d’Asie, agência das Missões Estrangeiras de Paris.

Flinse declarou à Radio Free Asia que, se o progresso realizado nas relações entre o Vietnã e Estados Unidos, especialmente no campo do comércio, da segurança ou da luta contra as drogas, foi notável, ainda está longe de sê-lo em matéria de liberdade religiosa.

A comissão estima atualmente que a reinserção do Vietnã na lista dos “países especialmente preocupantes” por causa de sua política religiosa seria uma medida adequada. Quando o Vietnã foi inscrito pela primeira vez nesta lista, em 2004, foram percebidos progressos sensíveis e é possível pensar que a reiteração dessa sanção teria efeitos positivos.

A proposta da comissão americana de reinscrever o Vietnã na famosa lista está justificada pelas perseguições que os crentes. sofrem

No relatório apresentado ao Departamento de Estado, está presente uma dezena de páginas das falhas da política religiosa no Vietnã. Além dos fatos já citados, o texto menciona as diversas perseguições que afetaram as grandes religiões.

A Comissão para a Liberdade Religiosa no Mundo é uma organização independente do Governo americano que tem como função aconselhar o presidente em Assuntos Exteriores e os membros do Congresso dos Estados Unidos, nas questões relativas à liberdade religiosa e aos direitos humanos no mundo. Seu papel é unicamente consultivo. A lista de países especialmente preocupantes, redigida pela Comissão, deve ser aprovada pelo Departamento de Estado para ser efetivada. Em 2009, o governo do presidente Obama não adotou as mudanças propostas nessa lista pela comissão.

O Vietnã foi introduzido nessa lista em 2004, pois o país não respondeu às exigências americanas de liberar certo número de pessoas religiosas da prisão ou de residências vigiadas. No final de 2006, pouco antes do presidente George W. Bush visitar Hanói, o Vietnã foi retirado da lista em consideração aos progressos realizados pelo país no campo da liberdade religiosa.

Contudo, nos anos 2006, 2007 e 2008, a comissão propôs ao Departamento de Estado inscrever o Vietnã novamente na lista, levando em conta a deterioração da situação religiosa, uma proposta que não foi aceita. Em outubro de 2009, o relatório anual de Assuntos Exteriores americano sobre a situação religiosa em 198 países do mundo afirmou que o Vietnã continuava progredindo nesse campo, mas subsistiam diversos problemas. Para ver o texto completo do relatório, acesse:  http://www.uscirf.gov/images/annual%20report%202010.pdf