Visita ecumênica de D. Etchegaray à Rússia

Por ocasião da festa de Pentecostes

| 926 visitas

SÃO PETERSBURGO, quarta-feira, 22 de junho de 2011 (ZENIT.org) - Uma visita ecumênica do cardeal Roger Etchegaray, vice-decano do colégio de cardeais e presidente emérito dos Conselhos Pontifícios Justiça e Paz e Cor Unum, marcou a festa de Pentecostes na Rússia, celebrada este ano simultaneamente por católicos e ortodoxos.

O purpurado esteve em São Petersburgo de 9 a 15 de junho para as celebrações de Pentecostes, convidado pela Igreja Ortodoxa Russa, segundo informou a ZENIT o sacerdote dominicanoHyacinthe Destivelle, pároco de Santa Catariana.

Ao chegar à cidade, o cardeal francês quis se recolher diante do túmulo do metropolitano Nicodemos, que o recebeu nesse mesmo lugar há mais de 30 anos.

O cardeal assistiu a um ofício ortodoxo da vigília de Pentecostes, durante o qual o metropolitano Vladimir e o bispo Nazaire, superior do antigo mosteiro de Alexandre Nevsky, deram-lhe o ósculo da paz.

Na manhã seguinte, depois de um café da manhã nos edifícios da catedral da Santa Trindade, o cardeal Etchegaray entregou ao metropolitano Vladimir uma carta do presidente do dicastério romano para a unidade dos cristãos, cardeal Kurt Koch, recordando a importância do Concílio Vaticano II no desenvolvimento das relações entre católicos e ortodoxos.

O bispo Ambrósio, reitor da academia de teologia ortodoxa, havia convidado o cardeal a hospedar-se na academia durante sua estadia em São Petersburgo, e organizou uma recepção em sua homenagem.

Na época da primeira visita do cardeal a esta cidade, o reitor da academia era o atual patriarca Cirilo, cabeça da Igreja Ortodoxa Russa.

Destacando que também estava em São Petersburgo para encontrar-se com os católicos da cidade, o cardeal celebrou a Missa de Pentecostes na igreja católica de Santa Catarina, situada na famosa avenida Nevsky.

Também visitou o seminário católico, onde pôde encontrar-se com seminaristas vindos de diversas regiões da Rússia.

O cardeal esteve, além disso, com personalidades do mundo cultural de São Petersburgo, entre eles Boris Piotrovski, diretor do prestigioso Museu Hermitage, que contém numerosas obras-primas da arte religiosa ocidental.

Nesta ocasião, o cardeal Etchegaray evocou a função especial e a vocação de São Petersburgo, não somente nas relações entre a Igreja e a Cultura, mas também no diálogo entre as diversas confissões cristãs.

No livro de ouro da academia de teologia na qual estava hospedado, o cardeal, citando a Carta aos Gálatas, convidou os ortodoxos e católicos de São Petersburgo a deixar-se guiar pelo Espírito: “Se vivemos segundo o Espírito, que nossas obras também sejam segundo o Espírito” (Gál 5, 22-26), o Espírito de Pentecostes.

O cardeal Etchegaray, pioneiro do diálogo entre católicos e ortodoxos e amigo pessoal do falecido patriarca de Moscou, Aléxis II, foi pela primeira vez a Leningrado, por convite daquele que foi metropolitano desta cidade, Nicodemos (Rotov).

Também é amigo, há anos, do atual metropolitano de São Petersburgo, Vladimir: ambos os prelados se conheceram no contexto do Concílio Vaticano II, do qual o cardeal participava como especialista e o metropolitano, como observador do patriarcado de Moscou.