Zenit: A Boa Nova de difunde no mundo

Testemunhos e comentários sobre a obra evangelizadora de uma agência de notícias

| 906 visitas

Por Antonio Gaspari

ROMA, sexta-feira, 23 de dezembro de 2011 (ZENIT.org) - Junto com as saudações de Natal e as contribuições que permitirão ao ZENIT continuar o trabalho de difusão da Boa Nova no mundo, na redação estão chegando centenas de testemunhos preciosos.

O decano dos missionários italianos, padre Piero Gheddo escreveu: "Eu gosto muito do ZENIT, porque é uma" boa notícia "que dá otimismo e esperança e faz encontrar o Evangelho encarnado na vida cotidiana. Na manhã, depois das orações, leio o ZENIT daquele dia e agradeço a Deus e aos amigos jornalistas que me dão uma visão da realidade segundo os olhos do Papa e da Igreja. É uma vitamina intelectual e espiritual para começar bem o meu dia" e acrescentou: "Nos queixamos pela poluição do ar ", perigo do qual estamos bem advertidos, mas muitas vezes ignoramos a "poluição do espirito” que provém do excesso de “notícias negativas” que nos intoxicam. Cada história de pessoas ou países, é uma história sagrada, porque Deus está presente. O importante para mim, pequeno homem, é ver em profundidade a história humana, lá onde há Deus. E eis que o ZENIT realiza esta missão".

Pe. Mario Piatti, icms, Diretor do mensal Maria de Fátima, observou: "ZENIT já é agora uma companhia indispensável, um canal de informação e formação que permite manter-se diariamente atualizado sobre os eventos mais significativos da Igreja, em Roma e no mundo. Em uma época agitada, em que os tempos são sempre mais rápidos, uma agência concreta como ZENIT deve ser certamente agradecida, incentivada e apoiada, também com a nossa oração. O Senhor abençoe o trabalho duro daqueles que se dedicam a oferecer-nos um "produto" cultural e espiritual tão valioso. "

Padre Benjamin Ramaroson, Bispo de Farafangana (Madagascar) agradeceu ao ZENIT pelo trabalho que desenvolve explicando que não pode ajudar-nos economicamente, mas que está rezando e pedindo orações a Maria Mãe de Deus. "Encorajo-vos", escreveu ele. "Sei que é dura e difícil, mas é a missão que o Senhor deu a vocês. E por isso lhes dará também a força e a perseverança e sabedoria. Bom trabalho".

O prof. Rafael Navarro-Valls, irmão do famoso Joaquin, descreveu ZENIT como uma agência "equilibrada, pluralista, serena, detalhada nas suas opiniões e informações sobre a Igreja Católica, com as suas implicações teológicas e sociológicas”.

"É sintomático  - acrescentou - que os serviços do ZENIT são muitas vezes reproduzidos por outras agências, jornais e publicações (eletrônicas ou não) em todo o mundo. Este fenômeno ocorre no cenário da mídia quando a fonte é muito confiável e de prestígio".

Monsenhor Felipe Arizmendi Esquivel, Bispo de São Cristobal, explicou: "Para mim o ZENIT é um dom de comunhão eclesial. Me permite estar em comunhão com o Papa e seus colaboradores, com a Igreja universal com a alegria e a tristeza dos irmãos e das irmãs de todo o mundo."
"Agradeço a Deus por este dom - disse - e o recomendo muito. Espero que muitos possam contribuir financeiramente para apoiar o serviço completo. Que o Espírito do Senhor encha-vos dos seus dons e àqueles que fazem possível este serviço".

O excelentíssimo Sr. Georges El Khoury, Embaixador do Líbano junto à Santa Sé, enviou uma carta na qual escreveu: "Gostaria de começar agradecendo-vos o serviço que estão levando adiante com fidelidade e dedicação por mais de cinco anos. Eu sigo a edição árabe do Zenit diariamente porque seus serviços são uma fonte confiável de notícias sobre a Igreja e, especialmente, sobre a atividade do Papa".

"A nossa língua árabe é pobre em recursos sobre a Igreja. Zenit sanou essa séria deficiência, contribuindo ativamente para colmar o abismo cultural entre o Oriente e o Ocidente. A benemérita natureza única do serviço é enriquecida pela sua qualidade e pontualidade. Sempre admirei a cobertura oportuna e em tempo real das notícias e dos discursos do santo Padre, especialmente nas suas visitas ao exterior. Mérito similar vai também à fiél cobertura semanal da audiência e da oração do Angelus".

"Dada a minha condição política, não posso mais que agradecer e testemunhar a importância do positivo efeito político do ZENIT. Até poucos anos atrás, as declarações do Santo Padre e as iniciativas da Igreja estavam à mercê de interpretações arbitrárias, que infelizmente levavam a confrontos ideológicos causados ​​por má interpretações, mas sem fundamentos na realidade. Com o serviço do Zenit em árabe, o rosto da Igreja manifesta-se claramente como um arauto de paz e de mensagem de fraternidade no mundo. Ofereço o meu sincero agradecimento a toda a equipe do Zenit, e meu especial apoio à edição Árabe".

Do Egito, o Cardeal Antonios Naguib, Patriarca de Alexandria dos católicos coptos, escreveu uma mensagem na qual manifestou "a grande estima pela edição árabe do Zenit, da qual ouvimos a grande importância e utilidade, para o Clero, os Religiosos e as religiosas, e para numerosos fiéis das nossas Igrejas Católicas do Egito.”

"Muitos- disse o Patriarca – o seguem com grande atenção, e encontram as palavras do Santo Padre, os documentos da Santa Sé, e as notícias de toda a Igreja Católica no mundo. Assim nos sentimos unidos e próximos desta grande Família de Jesus. Sabemos que eles pensam em nós e oram por nós, e nós fazemos o mesmo por eles".

"Eu posso dizer - está escrito na carta – que ZENIT se tornou o nosso portal para nos atualizar sobre o estado da Igreja Católica no mundo e, portanto, um ponto de referência seguro. Seguimos com atenção a tradução árabe dos discursos do Papa, e os comunicados das diversas Congregações e dos Conselhos Pontifícios, e os interessantes artigos espirituais e litúrgicos. Posso dizer que Zenit é um canal de formação permanente para as nossas Igrejas ".O Patriarca Antonios Naguib concluiu dizendo: "Agradecendo-vos pela vossa bonita e importante missão, desejo-vos uma continuação frutífera, para o bem de toda Santa Igreja Católica, especialmente em nossos países".

Da Polônio o padre Mariusz Frukacz sacerdote da Czestochowa, disse ser um leitor do ZENIT desde o 2000. "Eu acho e tenho certeza – escreveu padre Frukacz – que com a atividade do ZENIT a Igreja pode ser melhor conhecida e a Boa Nova se realiza concretamente por meio da evangelização dos meios de comunicação de massa. ZENIT desempenha o papel importante na evangelização também dos meios de comunicação".

Padre Salvatore Vitiello, professor da Pontifícia Universidade Lateranense, Universidade Católica do Sagrado Coração, e do Pontifício Ateneu Regina Apostolorum, queria salientar que "a agência de notícias" ZENIT "é uma competente "voz" que dilata a janela web para a vastidão do horizonte Católico, em toda a sua amplitude e beleza, trazendo a Igreja para o mundo de cada um".
De acordo com padre Vitiello, "os numerosos relatórios e aprofundamentos em campo teologico, ético, bioético, filosófico, jurídico e político mostram o quanto seja amplo e sempre atual o olhar cristão sobre a realidade, porque estruturalmente enraizado na encarnação do Logos divino que a ilumina totalmente”.

O conhecido professor concluiu: "A eficácia deste objetivo é evidente, sobretudo porque cada argumento particular é tratado com competência e objetividade, mantendo firme o único método realmente convincente: a humildade e a obediência ao Magistério. Obrigado ao Diretor e a todos os amigos das redações do ZENIT”.

O carmelita Padre Angelo del Favero nos escreveu: "ZENIT me chega como uma graça de Deus. Abro sempre com alegria, porque sei que vou ler a Verdade e será como encontrar a Jesus em pessoa. Lamento somente o não poder acompanhar tudo, também porque a minha memória é limitada. No entanto, vejo que Deus me faz ler cada vez aquilo que eu preciso. Por isso permaneço na paz, matando a sede com aquele pouco de água que é necessário para mim. Estou cheio de gratidão por este serviço, que aumenta o meu amor pelo Senhor, pela sua Igreja, pelo Santo Padre, e por todo o mundo. "

Um comentário especial e sentido nos foi enviado por Chiara Amirante, fundadora da comunidade Novos Horizontes. Chiara: "Um obrigado de coração ao ZENIT e a todos os colaboradores que com amor, dedicação e profissionalismo se dedicam a este valioso serviço. Obrigado porque é um grande presente a todos nós, poder receber em tempo real as palavras do Santo Padre e a tantas boas notícias que caracterizam a grande família da Igreja e da Humanidade. Um cumprimento especial, portanto, a todos os colaboradores e a todos os leitores".

(Tradução Thácio Siqueira)